Arquivo

As iniciativas aqui apresentadas decorreram na data indicada de forma mais formalligadas à Moving Cause. Algumas foram temporárias, outras como a Horta da Partilha receberam na associação um impulso e  continuam ainda hoje a dar frutos…

Cooperação com Timor Leste (2009-2011)

A associação desenvolveu nos primeiros anos de existência vários projectos de cooperação com Timor Leste que contribuíram para a divulgação do empreendedorismo social Timorense em Portugal como o artesanato das bonecas de Ataúro e digressão da banda Galaxy, promovendo também actividades de formação em Timor.

Horta-Lá! Permacultura Urbana (2012)

O lançamento do grupo foi anunciado numa newsletter da Moving Cause enviada a Setembro de 2011: “Horta lá! O bairro está convocado“. Em Abril 2012 apoiamos a divulgação de cursos e encontros no Espaço Compasso com a newsletter “A minha pegada é menor que a tua?“. O espaço fez-se de encontros, conversas, oficinas, mãos-na-terra, produção e bem-estar. Faz-se música também! E muitas vezes a sacholdada no jardim misturava-se com a batida da jam session que vem de dentro.

Terra das Crianças no Soajo (2013-2014)

Casa do Povo, Soajo
Casa do Povo, Soajo

A Associação MOVING CAUSE trouxe para o Soajo o projecto “Terra das Crianças”, sentindo que seria uma mais valia criar um espaço dedicado a elas, um lugar planeado e desenvolvido com a sua total participação, onde se realizavam actividades fora do tempo de escola e outras inseridas no programa escolar, onde as crianças podiam brincar e aprender desenvolvendo no processo laços entre si e a terra que as acolhe.

AMEP (2014-2015)

Foto: “Progeto” Aparte

Em 2014 a Moving Cause propôs a criação da Associação pela Manutenção da Economia de Proximidade (AMEP), uma rede de consumo, produção e distribuição local de alimentos no âmbito da economia solidária no Porto. Inspirada nas iniciativas AMAP (Associações para a Manutenção da Agricultura de Proximidade) – nascidas  em França em 2002, com o objectivo de apoiar pequenos produtores que pratiquem e ofereçam produtos de agricultura biológica num contexto de proximidade com o grupo de consumidores -, a AMEP introduziu a possibilidade de aquisição de produtos com moeda social em detrimento do euro.

Horta da Partilha (2015)

Desde o início de 2015 que estamos a cuidar de uma horta em regime de agricultura natural e permacultura, perto da Arca d’Água no Porto. O convite foi feito por Sara Alves aos “prossumidores” do projecto AMEP – Associação pela Manutenção da Economia de Proximidade.  A Horta da Partilha trouxe a possibilidade ao grupo de alargar a sua capacidade de auto-produção, podendo assim introduzir hortícolas na AMEP e no circuito de economia e moeda solidária do Porto. Formou-se então o grupo dos “Hortários”.

Soajo em Movimento ConVida (2016-2017)

As Oficinas do Movimento ConVida foram  uma extensão da Terra das Crianças, um espaço aberto a todos que quiseram aprender ou ensinar algo, fossem eles crianças, jovens, adultos ou idosos. Foi lançado um calendário de workshops onde se irão desenvolveram diferentes actividades que contribuíram para o desenvolvimento e aprendizagem de todos. Foi no fundo uma espécie de universidade aberta, em que o único requisito para entrar é ter vontade de aprender ou ter algo para ensinar.

Mobilizamos utopias concretas